PESQUISA – Docentes da UNISANTOS participam da elaboração do Plano Estratégico para o Monitoramento de Avaliação do Lixo no Mar do Estado de São Paulo

Docentes da UNISANTOS, o professor doutor Flávio de Miranda Ribeiro, do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito, e o professor mestre Jhonnes Alberto Vaz, dos cursos de Engenharia e Arquitetura e Urbanismo, participaram da elaboração do Plano Estratégico para o Monitoramento de Avaliação do Lixo no Mar do Estado de São Paulo (PEMALM), lançado, no dia 20 de janeiro, em plataforma virtual devido à pandemia de Covid-19. Dessa forma, a UNISANTOS atuou como uma das consultoras do Plano e ajudou a mapear todos os 391 atores que foram categorizados, em função do setor de atuação, além de colaborar com a troca de informações sobre temas pertinentes à Região Metropolitana da Baixada Santista.

 

Flávio Ribeiro

O professor Flávio Ribeiro comenta que o convite para integrar essa importante iniciativa surgiu ainda em 2019. Segundo ele, que coordena um projeto para realização do Workshop Prevenção e Controle do Lixo no Mar, previsto para acontecer no segundo semestre desse ano, na UNISANTOS, o tema despertou um grande interesse e ainda poderá colaborar com o evento que está sendo programado.

 

Doutor em Ciências Ambientais, o professor Flávio Ribeiro, que atua na revisão de resultados do PEMALM, declara que participar desse projeto é gratificante e enriquecedor. “Acredito que colaboramos levando opiniões e uma visão diferente, desde o ponto de vista da Universidade e da Baixada Santista. Além disso, a participação da UNISANTOS na construção coletiva do PEMALM foi muito importante, porque trouxe uma importante rede de contatos e nos posicionou como um importante ator deste tema na Baixada Santista”, conclui.

 

Jhonnes Vaz

WORKSHOPS – Convidado pelo professor Flávio Ribeiro para integrar o PEMALM, o mestre em Educação Jhonnes Vaz explicou que durante a elaboração do plano participou de uma série de atividades que incluiu workshops presenciais, discussões e dinâmicas sobre as questões de Lixo no Mar do Estado. “Também realizamos uma visita à sede do Parque Xixová-Japuí, e, durante a pandemia, os organizadores do PEMALM desenvolveram materiais informativos para fomentar discussões”, diz o pesquisador.

 

Doutorando em Engenharia e pesquisador ligado ao Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (Ipeci) da UNISANTOS, o professor Jhonnes Vaz ressaltou que o PEMALM é um instrumento importante para o Estado, porque ele possibilita o desenvolvimento de políticas públicas, além de permitir que essa troca de experiências seja levada para a Universidade. “É muito interessante ter docentes contribuindo para essas discussões, porque ele (PEMALM) permite que nós possamos trocas experiências e levar todos esses aprendizados para o ambiente da Universidade”, finaliza.

 

PEMALM- Desenvolvido por uma série de instituições com o apoio da Cátedra da UNESCO para a Sustentabilidade do Oceano, da Secretária de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo com o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), e do Instituto Oceanográfico da USP, com patrocínio da Embaixada da Noruega no Brasil, o plano visa elaborar estratégias e criar espaços para o monitoramento de quantidade, tipos, formas, localização entre outros parâmetros da ocorrência de lixo no mar do Estado de São Paulo. Através desses estudos, os participantes conseguem realizar avaliações dos impactos desse lixo na fauna, flora, economia, lazer e saúde.