SIMULADO – Estudantes do curso de Relações Internacionais da UNISANTOS são selecionadas para assembleia da ONU sobre conflito no continente africano

Bandeira da República do Burundi
Ariela da Silva e Sabrina Pedra

“Ajuda muito a desenvolver soft skills essenciais para o mercado de trabalho, como a escrita, a oratória, o trabalho em equipe e a capacidade de solucionar problemas”. Assim a estudante do 4º semestre do curso de Relações Internacionais da UNISANTOS, Sabrina Cerqueira Pedra, define a sua participação, ao lado da colega de turma Ariela Moura da Silva, na Mini Simulação da ONU “Comitê Conflito pelas Águas do Rio Nilo”. Elas foram selecionadas para participar do evento, realizado on-line no último dia 5, e representaram a delegação da República do Burundi.

 

As estudantes explicam que se inscreveram para participar do evento incentivadas pelo professor doutor Daniel Rei Coronato e pela professora mestre Melissa Mendes Caputo Vicente. “Vimos como uma oportunidade de uma experiência um pouco diferente do que estamos acostumadas, ainda mais por ser um tema pouco falado fora do campo das relações internacionais”, explicou Sabrina. Com relação à preparação, elas destacam o apoio dos docentes. “Eles nos ajudaram nas pesquisas, no entendimento dos materiais disponibilizados e na criação das estratégias para serem usadas durante o debate. Além de terem nos dado aquela injeção de confiança necessária”, salientou Ariela.

 

Região do conflito, no leste da África
Delegações foram formadas por duplas

As duas universitárias já possuíam experiência na dinâmica de Modelo de Simulação de Assembleia da ONU por terem participado de evento similar na UNISANTOS, entretanto, revelam que por se tratar de assunto de uma região bastante específica, sentiram certo nervosismo no início. “Estávamos nervosas no começo, mas depois nos acostumamos e pudemos aprender mais sobre os outros países e ganhar experiência para as próximas simulações”, disse Sabrina. “Foi muito interessante e entusiasmante”, acrescentou Ariela.

 

Contentes com a experiência, as universitárias destacam a importância da vivência para a formação na área de relações internacionais. Além de estimular a pesquisa, a escrita e a oratória, ambas valorizam a interação com outras pessoas. “Esses eventos nos possibilitam conhecer pessoas com ideias e pensamentos diferentes, além de ajudar na formulação rápida de perguntas e respostas, o que pode ser um instrumento essencial, principalmente para aqueles que escolhem a área pública”, disse Ariela. “Recomendo que todos um dia participem”, concluiu Sabrina.

 

EVENTO – Organizado pela FGV Global e o Coletivo de Estudos em Direitos Humanos (CEDH), a simulação teve como tema a crise diplomática entre países da Bacia do Rio Nilo que abriga a disputa pelo uso dos seus recursos. Estudantes de diferentes instituições representaram, separados em duplas, Etiópia, Sudão, Egito, Estados Unidos da América, República Popular da China, República do Quênia e República do Burundi.