CONHECIMENTO – Oficina de encerramento do subprograma Expresso Científico destaca atuação multidisciplinar e utilização do método PCR para avaliação de contaminantes

Professora Adriana Florentino explicou funcionamento do método PCR

Apresentando um pouco do trabalho realizado pela Universidade no campo da química, meio ambiente e biologia, a UNISANTOS realizou, no dia 19 de junho, a oficina de encerramento do subrograma Expresso Científico. Em evidência na atualidade por conta da Covid-19, o método PCR, utilizado para detecção do coronavírus e empregado na Universidade para outras pesquisas, foi apresentado como uma técnica que possibilita obter importantes informações de análise quantitativa e qualitativa na avaliação de contaminantes na água. O encontro, que contou também com uma abordagem multidisciplinar sobre os problemas ambientais da região metropolitana da Baixada Santista e destacou algumas produções do Observatório da Água da instituição, foi destinado para estudantes do 3º ano do Ensino Médio e Técnico das ETECS e da Escola Estadual Doutor Antônio Ablas Filho.

 

Responsável por estudos nessa área de avaliação de contaminantes da água, a professora doutora Adriana Florentino de Souza, diretora do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (Ipeci), explicou um pouco do funcionamento da técnica do PCR (polymerase chain reaction), além de destacar algumas produções científicas da Universidade. Também participaram da oficina os professores pesquisadores do Comitê de Iniciação Científica (COIC), da UNISANTOS, doutor Mauricio Marques Pinto da Silva, e mestres Marco Antonio Cismeiro Bumba e Jhonnes Alberto Vaz. Juntos eles abordaram os problemas ambientais da região e destacaram a atuação das suas respectivas áreas e de todas as pesquisas executadas pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (Ipeci) da Universidade.

 

Júlia Ferreira

PARTICIPAÇÃO – Da ETEC de Peruíbe, o estudante Henrique Melo Alves Martins comentou que a credibilidade da Instituição e o interesse em cursar Ciência da Computação fizeram com que ele optasse pelo Expresso Científico. Impressionado com a qualidade das oficinas, ele ressaltou que a variedade de áreas de atuação oferecidas pela UNISANTOS foi algo que marcou ao longo do projeto. “Achei muito interessante cada apresentação e a cada palestra eu ficava mais encantado com essa experiência”, revelou.

 

Marcello da Cruz

Acreditando que a iniciativa da Universidade possibilita novas oportunidades para alguns estudantes, Júlia Cândido Ferreira, da Escola Estadual Doutor Antônio Ablas Filho, disse que o Programa fez com que ela observasse melhor o seu futuro acadêmico. “Essa experiência fez com que eu conhecesse melhor alguns cursos e também a Universidade em si, além de me ajudar a escolher a área que desejo seguir”, definiu.

 

Na visão do estudante da ETEC Adolpho Berezin (Mongaguá), Marcello Cardozo da Cruz, o Expresso Científico fará diferença para o seu futuro. Analisando a iniciativa como extremamente importante, ele ainda ressaltou sobre os encontros. “O que mais me marcou ao longo do Programa foi a apresentação dos cursos durante as oficinas e os inúmeros projetos que a Universidade possui nas áreas de pesquisa”, finalizou.