SÍNODO PAN-AMAZÔNIA – Dom Cláudio Hummes alerta sobre a importância da Amazônia e dos povos indígenas

Dom Cláudio Hummes fez um alerta sobre a situação da Amazônia e destacou que todos devem agir no sentido da preservação

Dom Cláudio Hummes é um homem que vive o que diz. Ele faz um alerta de que o futuro da terra está comprometido e que é preciso agir rapidamente. Arcebispo Emérito de São Paulo, o cardeal que é presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica esteve na UNISANTOS, no dia 2 de abril, para falar sobre o Sínodo da Amazônia, que trata de novos caminhos para a evangelização dos indígenas e a crise da Floresta Amazônica. Durante celebração religiosa e conferência que realizou, foi enfático que é preciso cobrar um posicionamento dos governantes, que a sociedade civil deve se organizar e fazer pressão, pois o planeta está em perigo. “Deus não quer a destruição do que Ele criou!”.

 

Os grandes vilões das mudanças climáticas e a consequente destruição da natureza, segundo Dom Cláudio Hummes, “são as grandes cidades, onde tudo se descarta, onde mais se consome e desperdiça energia, onde não se preserva a água, onde há desperdício de alimentos e onde se polui o ar”. Além disso, destacou o prejuízo que o petróleo, o gás natural e o carvão mineral trazem ao mundo, pois, uma vez queimados, produzem CO2, aumentando a temperatura terrestre que não pode ultrapassar mais de 1,5º grau Celsius.

 

Arcebispo Emérito de São Paulo durante celebração religiosa na Capela São José

SÍNODO – Sobre o Sínodo, Dom Cláudio Hummes explicou: “O Sínodo vai se perguntar como Igreja, como que nós Igreja estamos atuando e vivendo e existindo na Amazônia? Como é que está a Igreja na Amazônia? E aí que vem toda a questão da Igreja. Que realmente seja uma igreja missionária, uma igreja perto das populações, que caminha junto, que abraça, que consola, que orienta, que encoraja e uma igreja que cuida do planeta. Portanto, cuida da floresta, cuida das águas, cuida do ar, cuida da biodiversidade, cuida dos povos.  Não se pode dizer: ‘Ah, mas isso não é assunto religioso.’ Sim, senhor. Para nós, cristãos, é um assunto religioso, sim! Porque nós cremos num Criador. Que nos criou a partir dessa terra. Nó somos filhos dessa terra. Inspirou em nós o espírito e nós somos filhos dessa terra. Nos entregou essa terra para cuidarmos. Administrá-la para que ela sempre possa continuar sendo capaz de nos nutrir e de nos alegrar e, enfim, de nos encantar.”

 

Dom Cláudio Hummes foi recebido pelo chanceler, o bispo diocesano Dom Tarcísio Scaramussa; pelo reitor, professor mestre Marcos Medina Leite; e pelo pró-reitor de Pastoral, professor mestre padre Cláudio Scherer da Silva, que fez o convite ao cardeal e organizou a sua vinda. “Sua vida realmente tem sido um testemunho de coragem e paixão. E nós testemunhamos inclusive na CNBB isso, com muita admiração pelos seus 84 anos, pelo seu entusiasmo à frente dessa comissão para a Amazônia, viajando nos barcos, rio acima, rio abaixo, pra dentro das florestas, visitando o povo, a sua comunidade, com muita coragem e paixão, realmente”, ressaltou Dom Tarcísio.

 

Dom Cláudio Hummes

Para o reitor Marcos Medina, a vinda de Dom Cláudio Hummes foi um marco para a Universidade. Ele ressaltou que é um privilégio e um desafio para a UNISANTOS responder às questões que surgem a partir da reflexão do cardeal. “Nós nos sentimos muito comprometidos em dar resposta a isso. Então faço desse momento uma perspectiva para que toda a nossa comunidade acadêmica, com extensão à nossa comunidade diocesana, compreenda que nós devemos responder a esse chamado com muita seriedade e muita serenidade, entendendo que há muito por fazer. Nós temos tentado traduzir iniciativas no campo da pesquisa e do ensino que possam se reverter numa contribuição para e com a comunidade, os povos e a Amazônia”, destacou o reitor.

 

PAPA FRANCISCO –  O Sínodo é uma instituição permanente da Igreja Católica que foi criada pelo papa Paulo VI, em resposta aos desejos dos padres do Concílio Vaticano II. A intenção é manter vivo o espírito de colegialidade nascido na experiência conciliar.

 

O Papa Francisco convocou, em outubro de 2017, a Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para outubro de 2019, com o tema “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma Ecologia Integral”. O objetivo, nas palavras do pontífice, é:  “identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta. Que os novos Santos intercedam por este evento eclesial para que, no respeito da beleza da Criação, todos os povos da terra louvem a Deus, Senhor do universo, e por Ele iluminados, percorram caminhos de justiça e de paz”.

 

Confira o vídeo divulgado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) com a fala do Papa Francisco sobre a convocação do Sínodo.

Atendimento via chat
Atendimento via chat