INICIAÇÃO CIENTÍFICA – Estudantes do ensino médio apresentam resultados dos projetos desenvolvidos no Ipeci

 

Aprendizado, inspiração, valor aos estudos, disciplina, maturidade e um maior conhecimento sobre a futura profissão. São essas as contribuições que os estudantes do ensino médio declaram sobre o Programa de Educação Científica para o Ensino Médio, desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (Ipeci) da UNISANTOS.

 

A sessão de pôsteres permitiu maior integração entre os jovens

No último dia 22, como parte das atividades da IX Semana de Ciência e Tecnologia, que integrou a semana nacional promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, 57 estudantes de 15 escolas conveniadas apresentaram os resultados das suas pesquisas na IX Jornada de Iniciação Científica para o Ensino Médio. Durante a abertura, o professor doutor Sérgio Olavo Pinto da Costa, ex-diretor do Ipeci, foi lembrado pelos relevantes serviços prestados na instituição. Uma placa em agradecimento será encaminhada para o pesquisador que integrou o corpo docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Saúde Coletiva.

 

Estudantes, docentes e familiares compareceram à mostra

Durante 1 ano, os estudantes desenvolveram projetos de pesquisa em diferentes áreas do conhecimento, sob a orientação de docentes-pesquisadores, mestres e doutores que atuam em cursos de Graduação e Pós-Graduação Stricto Sensu. A iniciação científica integra o Programa de Educação Científica e os estudantes das escolas de ensino médio da Região Metropolitana da Baixada Santista recebem bolsa auxílio da UNISANTOS e do CNPq.

 

Glória dos Santos

“Esse trabalho me inspira a continuar lutando pelos direitos das pessoas, porque muita gente sofreu.  A gente sabe que o racismo existe e as pessoas conhecem o movimento negro, mas quando você estuda isso, você vê a origem”, disse a estudante Glória Runa Fias dos Santos, da Escola Estadual Primo Ferreira. Ela desenvolveu a pesquisa “Refazendo laços: o movimento negro e a luta contra o racismo no Brasil”, sob orientação do professor mestre Paulo Fernando Campbell Franco, coordenador do curso de História.

 

Giovanna Lopes

Ao destacar que a iniciação científica prepara o estudante do ensino médio para ingressar na universidade, Giovanna Fernanda Lopes, da Escola Estadual Prof. Diniz Martins, em Guarujá, disse que a oportunidade de conviver com os docentes e alunos da instituição contribui para essa preparação. Sobre a pesquisa “Inglês no YouTube: recursos pedagógicos para uma aprendizagem autônoma?”, sob orientação da professora doutora Graziela Pigatto Bohn Casagrande, do curso de Tradução e Interpretação, contou: “Esse projeto me ajudou muito. Eu não sabia fazer gráficos e aprendi a pesquisar”.

 

Emily Bezerra

Recém-contratada como técnica de laboratório da UNISANTOS, Emily de Jesus Bezerra apresentou a pesquisa que desenvolveu enquanto estudante do curso técnico em meio ambiente na Escola Técnica Municipal 1º de Maio, em Guarujá.  “Muitas vezes, no ensino técnico, a gente não tem contato direto com essas áreas. Com esse projeto, eu acabei entendendo mais sobre as questões ambientais, principalmente que é preciso diminuir os impactos gerados pelos plásticos e resíduos”, disse a estudante que já está cursando Engenharia Química na UNISANTOS. A pesquisa “Estudo da síntese e degradação de bioplásticos utilizando matérias primas diversas como fibra de coco e casca de camarão” foi orientada pelo professor mestre Marco Antônio Cismeiro Bumba, dos cursos de Engenharia.

 

Raquel Mota

“Aprender sobre aves foi muito bom, pois eu não sabia nada sobre elas. Foi bom também para eu conhecer um pouco mais sobre Santos”, disse a estudante da Escola Estadual Profª. Alzira Martins Lichti, Raquel Andrade Mota, que desenvolveu a pesquisa “Aves Marinhas de Santos”, sob orientação da professora mestre Rossana Helena Pitta Virga, do curso de Ciências Biológicas.  Mapeadas as regiões da Orla de Santos, Mercado de Peixe (Ponta da Praia) e Orquidário, ela fez o trabalho de observação e identificação de aves, o que resultou nas seguintes espécies catalogadas: Biguá, Fragata, Gaivotão, Garça Branca Grande, Garça Branca Pequena e Socó Dorminhoco.

 

DESTAQUES – Uma comissão formada por pesquisadores e docentes de diferentes áreas do conhecimento avaliou os trabalhos e destacou os seguintes:

Estudantes que tiveram seus trabalhos destacados pela comissão formada por pesquisadores

# “Jornalismo nas redes”, de Beatriz Oliveira Testa (Liceu Santista), sob orientação da professora mestre Lidiane do Nascimento Diniz, do curso de Jornalismo;

# “Estudo da síntese e degradação de bioplásticos utilizando matérias primas diversas como fécula de mandioca, casca de laranja, casca de maracujá, fibra de coco e casca de camarão”, de Emily de Jesus Bezerra (E.M. 1º de Maio), sob orientação do professor mestre Marco Antônio Cismeiro Bumba, dos cursos de Engenharia;

# “Filtros elétricos”, de Gabriel Francisco Sato (Colégio Presidente Kennedy), sob orientação do professor doutor José Fontebasso Neto, dos cursos de Engenharia e Ciência da Computação;

# “Refazendo laços: O movimento negro e a luta contra o racismo no Brasil”, de Gloria Runa Fiais dos Santos (E.E. Prof. Primo Ferreira), sob orientação do professor mestre Paulo Fernando Campbell Franco, do curso de História;

# “Narrativas Históricas, mídias e história pública: um estudo da imprensa periódica”, de João Victor Assis Pires (Escola Verde que te quero verde), sob orientação do professor doutor César Agenor Fernandes da Silva, dos cursos de Licenciatura e Comunicação;

#“Como os Métodos Consensuais de Resolução de Conflitos podem desafogar o Poder Judiciário”, de João Vinícius Capela Marini (Colégio Passionista Santa Maria), sob orientação do professor doutor Gilberto Passos de Freitas, do curso de Direito;

#“O relevante papel da família na busca pela felicidade”, de Lívia Souza de Freitas (Liceu Santista), sob orientação do professor doutor Frederico Augusto Bonaldo Silva, do curso de Filosofia;

#“Descrição da cascata do Cuidado de pessoas vivendo com HIV de 2014 a 2017”, de Marielly Câmara Rocha (ETEC Dra. Ruth Cardoso), sob a orientação da professora doutora Cláudia Renata Barros, do curso de Pedagogia e Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Saúde Coletiva;

#“Fake News e leitura crítica”, de Nycole Mota Carballo Rodriguez (Colégio Universitas), sob orientação da professora mestre Isys Helfenstein Remião, do curso de Relações Públicas;

#“Análise qualitativa da Acessibilidade das Áreas Públicas do Bairro Boqueirão do Município de Santos (SP)”, de Victória Santos Silva (Colégio São José), sob orientação do professor mestre Jhonnes Alberto Vaz, dos cursos de Engenharia e Arquitetura;